Ciclo de Halovar e H-Stane

Este artigo tem como objetivo esclarecer e descrever detalhadamente, como deve ser feito um ciclo envolvendo os pró-hormonais Halovar e H-Stane. Você aprenderá sobre os riscos, dosagens, precauções e proteções a serem tomadas antes do ciclo, durante e na Terapia Pós-Ciclo (TPC).

Halovar e H-Stane São o Mesmo Composto

Em primeiro lugar é importante se tomar nota de que tanto o Halovar como o H-Stane são compostos pela mesma substância, o 4-chloro-17a-methyl-androst-1,4-diene-3b-17b-diol. Essa é uma fórmula consagrada no mundo da musculação e vem sendo utilizada sob diversos nomes como: Halovar, H-Stane, Halodrol, H-drol, HD 50, entre outros.

Por essa razão, as recomendações de ciclos e TPC feitas para o Halovar e o H-Stane são idênticas, já que os dois produtos são a mesma coisa.

Estrutura do Ciclo

Um ciclo bem-feito, completo e seguro de Halovar ou H-Stane passa, necessariamente, por três etapas: 1) antes, 2) durante e 3) depois.

A primeira dessas fases visa proteger o fígado para que ele possa lidar melhor com as substâncias que serão ingeridas. A segunda, consiste no consumo do Halovar ou do H-Stane.

E a terceira e última fase é a famosa TPC, onde serão utilizadas substâncias a fim de restaurar a produção natural de testosterona e evitar problemas causados pelo possível excesso de estrógeno (hormônio feminino).

Ciclos com Halovar e H-Stane

Os ciclos com pró-hormonais podem ser feitos utilizando-se diferentes dosagens. Até certo ponto, quanto maior a dosagem, maiores os resultados de ganhos de massa muscular e força. Porém, também poderão ser mais perceptíveis os efeitos colaterais advindos da dosagem excessiva.

Infelizmente, esse processo de ganhos de massa magra e elevação da força tem um limite. Caso contrário, qualquer pessoa que tomasse uma grande quantidade de pró-hormonais estaria, em pouco tempo, disputando o Mr. Olympia.

Primeiro Ciclo

O Halovar e o H-Stane são pró-hormonais apropriados para uma pessoa fazer o seu primeiro ciclo, porque eles são pró-hormonais (PHs) de Classe 2.

E daí? PH’s de Classe 2 são considerados pró-hormonais com baixos riscos de efeitos colaterais e com um potencial de ganho de massa muscular acentuado, tornando-os produtos mais adequados para usuários iniciantes que buscam ter ganhos expressivos de massa muscular e manter a saúde em dia.

Halovar e H-Stane

Existem diversas maneiras de calibrar o seu ciclo de Halovar ou de H-Stane. A seguir estão delineadas as principais dosagens utilizadas nos ciclos de Halovar ou de H-Stane, bem como, a maneira mais apropriada de consumi-los.

25mg/dia
Mulheres não devem utilizar esta concentração de Halovar ou H-Stane, devido ao alto risco de virilização (engrossamento da voz, crescimento de pêlos, hipertrofia clitoriana). Para as mulheres que insistirem em fazer uso deste produto, esta é a dosagem máxima.
Deve ser ingerido uma (1) vez por dia em um horário fixo. Por exemplo, todo dia às 11h.
50mg/dia
É a dose recomendada pelo fabricante e deve atender a maioria dos usuários.
Ela provoca um sensível aumento na massa magra e melhora razoavelmente a performance física.
Deve ser tomado duas (2) vezes por dia com intervalos de 12 horas entre as doses. Por exemplo, se uma pessoa ingerir a primeira dose às 9h, deverá tomar a segunda dose às 21h.
75mg/dia
Esta dosagem deve ser utilizada apenas por usuários que já tenham realizado pelo menos, um ciclo bem-sucedido com pró-hormonais.
Esta quantidade provoca ganhos mais intensos de massa muscular, acelera a recuperação entre os treinos, e aprimora consideravelmente a capacidade atlética.
Devem ser tomadas três (3) cápsulas ao dia, com intervalos de 8 horas entre elas. Por exemplo, se uma pessoa ingerir uma cápsula às 07h, a segunda deverá ser tomada às 15h, e a última às 23h.
100mg/dia
É uma dosagem para usuários bastante avançados que já possuem uma experiência de pelo menos dois ou três ciclos bem-sucedidos com pró-hormonais.
Provoca ganhos muito pronunciados de massa muscular e melhora intensamente a performance atlética.
O ideal é tomar quatro (4) cápsulas por dia, com intervalos de 6 horas entre elas. Por exemplo, se uma pessoa tomar a primeira cápsula às 06h, deverá ingerir a segunda às 12h, a terceira às 18h, e finalmente a quarta às 00h.
Esta dose também pode ser consumida de forma simplificada, dividindo-a em dois (2) momentos no dia, com um intervalo de 12 horas entre eles. Por exemplo, se os dois primeiros comprimidos forem ingeridos às 08h, os dois últimos devem ser ingeridos às 20h.
125mg/dia
Embora existam relatos de dosagens de 125mg ou mais por dia, esta é uma dose bastante elevada. É possível que ela não produza efeitos muito diferentes de doses menores em usuários inexperientes (ou seja, aqueles que ainda não desenvolveram “resistência” a pró-hormonais).
É recomendada apenas para usuários muito avançados que estejam tendo ganhos pouco significativos em seus novos ciclos.
Elevar a dosagem a estes níveis pode ser uma boa estratégia para conseguir ganhar massa muscular e força desejadas, especialmente em situações onde o corpo estiver produzindo pouco resultado com o Halovar ou com o H-Stane.
Ao fazer o ciclo com 5 cápsulas por dia (125mg), a recomendação é dividir estas cápsulas em três (3) momentos, dando um intervalo de 8 horas entre eles.
No primeiro momento apenas uma (1) cápsula deve ser ingerida, nos momentos seguintes duas (2) cápsulas. Por exemplo, se a pessoa tomar a primeira cápsula às 08h, ela deverá tomar a segunda e terceira cápsula às 16h, e as duas últimas à 00h.
Ao fazer o ciclo com 6 cápsulas por dia (150mg), recomenda-se separá-las em três (3) momentos durante o dia, dando um intervalo de 8 horas entre eles.
Por exemplo, se as duas primeiras cápsulas forem ingeridas às 08h, as duas cápsulas seguintes deverão ser consumidas às 16h, e finalmente as duas últimas cápsulas à 00h.
175mg/dia
São doses extremamente elevadas e provavelmente não produzirão resultados melhores do que as doses menores.
É desaconselhável fazer ciclos com essas doses por causa dos altíssimos riscos de ocorrer pesados efeitos colaterais. Melhor seria mudar de PH indo para uma classe maior (Classe 3).

Proteção ao Fígado

Os pró-hormonais, em sua maioria, são compostos químicos metilados, o que significa que existe um grupo metil (CH3) na composição da sua molécula, tornando bastante difícil que ela seja quebrada pelo fígado e gerando muitas toxinas como resultado desse processo.

Para evitar e reparar os danos causados pelas toxinas, é fundamental proteger seus órgãos. O ideal é que essa proteção seja feita em qualquer ciclo com pró-hormonais, tais como: Halovar, H-Stane, M-Drol, M-Stane, Reign Hardcore, Decafire, Phreak, Trenevol, entre outros.

A substância mais adequada para fazer a proteção do fígado é a silimarina. A silimarina pode ser comprada isoladamente, em um produto específico para ser consumido durante um ciclo como, por exemplo, o Organ Shield, ou pode ser manipulada em uma farmácia.

Caso você deseje manipular, uma das melhores composições é:

Substância Quantidade
Silimarina 200mg
Alcachofra 150mg
Metionina 150mg

A função da silimarina é regenerar as células do fígado e expelir toxinas, garantindo que ele funcione de forma saudável, e mantenha os processos vitais dos quais participa.

É fundamental começar o uso da silimarina duas semanas antes do início do ciclo a fim de garantir que as células do fígado estejam prontas e saudáveis para processar o Halovar ou o H-Stane, evitando maiores complicações.

Caso você também deseje proteger outras partes do corpo como a próstata e o sistema cardiovascular, o Organ Shield é uma excelente opção, já que além de conter silimarina, entre outras substâncias, possui ácido alfa lipoico e coenzima Q10.

Essas duas substâncias são eficientes para controlar os níveis de colesterol do sangue que ajudarão a manter a saúde do seu sistema cardiovascular. Esse controle é importantíssimo durante o ciclo com pró-hormonais, já que é comum a elevação dos níveis de colesterol nesse período.

Tome bastante água ao longo do ciclo com pró-hormonais (cerca de 4 litros por dia) para auxiliar o corpo a remover as toxinas.

TPC (Terapia Pós-Ciclo) do Halovar

Diminuição da Produção Interna de Testosterona

Veja só que coisa: durante o ciclo com pró-hormonais, os níveis muito altos de testosterona provocam, paradoxalmente, uma supressão e queda na produção interna deste hormônio. Em um primeiro momento, isto não é problemático, já que existe uma fonte externa suprindo constantemente toda a testosterona necessária ao bom funcionamento do organismo.

Os problemas tendem a acontecer depois do ciclo, quando não existe mais a fonte externa de hormônios, e o corpo foi pego de surpresa, pois está naquela janela de tempo em que a produção endógena (interna) de testosterona está em baixa.

Os níveis tendem a ser restaurados naturalmente em um organismo saudável, pois o corpo identifica os baixos patamares de testosterona e entende que precisa retomar sua produção. Contudo, durante este período, em que há baixa produção e baixos níveis ocorrendo simultaneamente, o corpo estará em uma janela hormonal deficitária.

Caso não seja feita uma TPC, as consequências podem ser bem desagradáveis. Baixos níveis de testosterona implicam em uma perda significativa dos ganhos obtidos de massa muscular, redução do volume dos testículos, intensa perda de força (o que pode levar a lesões e acidentes no treino), além de queda na libido, menos energia para o dia-a-dia e uma sensação de mal-estar acentuada.

Altos Níveis de Estrógeno

Além disso, há o risco dos baixos níveis de testosterona implicar em uma maior produção do hormônio feminino estrógeno, e de deixar livre parte dos receptores que a testosterona ocuparia anteriormente, permitindo que o estrógeno se ligue a eles e assim tenha uma maior atuação no corpo. E qual o problema de grandes quantidades de estrógeno circulando no sangue?

Para quem quer ganhar peso em massa muscular, não é nada recomendável. A alta nos níveis de estrógeno, que é um hormônio tipicamente feminino, pode levar a consequências extremamente indesejáveis, como por exemplo: a ginecomastia, que é o crescimento de mamas nos homens (devido ao acúmulo de gordura atrás dos mamilos); aparecimento de acnes (espinhas), uma maior retenção de líquidos e gordura, produzindo um aspecto inchado e rechonchudo.

Como Fazer a TPC

Para evitar problemas relacionados à falta de testosterona ou excesso de estrógeno, é fundamental fazer uma terapia pós-ciclo (TPC).

Uma vez interrompido o uso do Halovar ou de H-Stane, a ação mais apropriada é começar utilizar logo no dia seguinte ao término do ciclo os seguintes produtos: Recycle, da Purus Labs; e citrato de tamoxifeno.

Isso fará com que seu organismo recupere rapidamente a sua produção natural de testosterona e não sofra com os efeitos colaterais do estrógeno.

O Recycle contém potentes elevadores naturais de testosterona, tais como: Tribulus alatus, que é uma versão mais potente do Tribulus terrestris; e Mucuna pruriens, uma planta que contém L-Dopa, um poderoso estimulante natural da produção de testosterona.

Essas duas substâncias, em conjunto, irão aumentar a sua produção de hormônio luteinizante (LH). Isso estimula as células de Leydig, localizadas entre os tubos seminíferos, nos testículos, a produzirem mais testosterona, acelerando bastante a retomada da produção natural desse hormônio.

O citrato de tamoxifeno também aumenta a produção de LH e resulta em uma elevação da produção de testosterona. Porém, a sua principal função neste caso é atuar como um modulador seletivo dos receptores de estrógeno.

Isso significa que o tamoxifeno irá se ligar a alguns receptores de estrógeno e irá impedir a atuação do estrógeno sobre eles. Por que isso é desejável? Porque o tamoxifeno atua principalmente sobre os receptores nas glândulas mamárias, sendo de grande valia para evitar a famosa ginecomastia (crescimento de mamas em homens).

Por último, alguns usuários de pró-hormonais têm problemas com seus níveis de colesterol. O tamoxifeno ajuda a aumentar o HDL, que é o colesterol “bom”, e a diminuir o LDL, o colesterol “ruim”, melhorando a saúde cardiovascular como um todo.

É recomendável fazer exames de sangue antes e depois de um ciclo com pró-hormonais, a fim de avaliar qual foi a resposta do seu organismo a essas substâncias.

Tribulus Terrestris

Algumas pessoas erroneamente acreditam que fazer uma TPC apenas com Tribulus Terrestris é suficiente. Isso é um erro porque o Tribulus não é capaz de combater os altos níveis de estrógeno, e também não é potente o suficiente para elevar por si só a produção natural de testosterona para níveis satisfatórios.

Caso o Tribulus seja utilizado, isso deve ser feito em conjunto com o Recycle e o citrato de tamoxifeno, a fim de otimizar a retomada da produção natural de testosterona e também melhorar a libido.

Exemplo de Ciclo com Halovar e H-Stane

Semanas Halovar/H-Stane Organ Shield Tamoxifeno Recycle
Semana 1 2 cápsulas/dia
Semana 2 2 cápsulas/dia
Semana 3 2 cápsulas/dia 2 cápsulas/dia
Semana 4 2 cápsulas/dia 2 cápsulas/dia
Semana 5 2 cápsulas/dia 2 cápsulas/dia
Semana 6 2 cápsulas/dia 2 cápsulas/dia
Semana 7 2 cápsulas/dia 2x10mg/dia 4 cápsulas/dia
Semana 8 2 cápsulas/dia 2x10mg/dia 4 cápsulas/dia
Semana 9 1x10mg/dia 4 cápsulas/dia
Semana 10 1x10mg/dia 4 cápsulas/dia

Esta tabela tem como exemplo a dosagem de 50mg/dia de Halovar ou H-Stane.

Para dosagens superiores, ou seja, com quatro (4) ou mais cápsulas de Halovar (100mg/dia, ou mais) a quantidade de Organ Shield, Recycle, e Tamoxifeno deverá ser dobrada.

Intervalo Entre Ciclos

Um ciclo de Halovar e H-Stane deve ser feito com um intervalo de pelo menos 60-90 dias após um ciclo com pró-hormonais ou esteroides anabolizantes.

O oposto também é válido, isso é, um ciclo de pró-hormonais ou esteroides anabolizantes só deve ser feito de 60 a 90 dias depois de um ciclo com Halovar ou H-Stane.

Bons treinos, sucesso no ciclo e um abraço do Doutô Lokura.

Deixe o Seu Comentário ou Dúvida (Clique Aqui)